quarta-feira, janeiro 09, 2008

Everyday Stuff

Em resposta ao desafio lançado pelo Cachapa, trago para a mesa da esplanada, entre uns bafos aromatizados de baunilha do meu "small cigar", uma brevíssima review acerca, não de um, mas de dois objectos do meu quotidiano: o meu moleskine e a minha caderneta de papel.

O toque vintage de ambos os items é algo que não dispenso no meu dia-a-dia, tal como não dispenso ouvir "telefonia" em vez de "rádio".

O moleskine revela a sua extrema utilidade sempre que quero captar momentos, ideias ou meros esboços gráficos, que, no meu caso, apenas eu e quem mais me conhece entende - meros exercícios e incursões no campo do desenho, dados à estampa apenas por pura auto-recreação... No que toca à escrita, ela varia, desde a mais simples nota sobre um compromisso, até algo mais profundo como uma pequena diletância literária. Prefiro canetas de aparo a esferográficas e lapiseiras de minas grossas às mais finas. Vem em capas duras e tem um "side pocket", que tal como consta do panfleto explicativo que acompanha cada exemplar é uma invenção registada da própria marca.
Já a caderneta serve para aquilo que os cartões de multibanco servem (eu não tenho cartão)... Não tem grandes vantagens - só há bem pouco tempo me dei conta de que já se pode carregar o telemóvel num terminal de Caixa Automática, coisa que estava reservada aos terminais SIBS e que me atirava assim para o terceiro mundismo que entendo serem as payshops (talvez apenas porque aquelas que conheço são quiosques de um mau gosto terrível).
Por outro lado, se por vezes é o multibanco que se encontra com uma fila de espera considerável, dando-me por feliz por ter optado por comportamento diverso, já noutras alturas me aconselho repetidamente a pedir um desses cartões de débito;
É que perco a paciência quando vejo certas pessoas, com aquele ar, lá está, de falsa santidade e virtude inusitada, a não arredarem pé dos terminais, conferindo e voltando a conferir extensos extractos de conta (por vezes olham para trás, com um riso escarninho ou um esgar de desprezo por quem está à espera, inserindo logo de seguida outra dessas cadernetas - "falta só actualizar as da conta poupança, do plano de reforma ou da caixa-habitação".
Contudo, a caderneta também vem em capas rígidas, ainda que maleáveis, e permite reunir todas as informações que pretendo, sem ter que acumular na carteira infindos e desagregados talões, cedidos por cada operação realizada, caso assim se deseje (esta, uma funcionalidade apenas introduzida há uns anos).
Dois items do meu dia-a-dia que mais não são do que isso mesmo - Everyday Stuff!


O meme foi também encaminhado para a Mariana e para o Ricardo.


1 comentário:

Mariana disse...

Devo dizer que a caderneta tem um certo «je ne sais quoi», quando manejada por ti. De resto, tem o seu ar vintage. :)