domingo, dezembro 28, 2008

O meu super-poder

Lançado o desafio pelo Cachapa, cumpre-me hoje dissertar acerca de um super-poder que eu gostasse de ter. Ora, se, a princípio, a tarefa até se afigura como simples, a verdade é que está muito longe de tal condição. De facto, ao assumir-me abertamente como um fã confesso de todo o Universo Star Wars, ao jeito da Mariana, devo igualmente acrescentar que me rendo por completo ao "Dark Side of the Force" e ao modo de ser dos Sith Lords. Deste modo, ao não poder dominar, para efeitos do presente post, todas as artes dos pérfidos senhores, a minha preferência vai para o Force Ligthning.
Este é um poder do lado negro da força destinado única e exclusivamente a provocar dor e sofrimento físico no oponente, levando-o a quebrar todas as suas resistências. Algo muito desagradável no seu extremo.

Em quem usaria este poder:

1. Operadores de call-center: por cada resposta idiota e standardizada que me dessem, de acordo com a formação que receberam em várias sessões, saberiam que do outro lado da linha estava alguém que não tolera ser tido como pacóvio.
2. Funcionários Públicos: por cada vez que se tentassem esquivar na mais que aguardada resolução de um problema que lhes colocasse ao balcão de uma qualquer repartição em que os mesmos parecem habitar naquele seu modo de estar bafiento e acéfalo.
3. Traseuntes de Centros Comerciais: que nenhum se atrevesse a bloquear-me o caminho com o seu carrinho de compras e o seu ar de fuinha.
4. Engraçadinhos - cabendo nesta categoria todos os empregados de mesa ou mancebos com ar de marialva: por cada piada básica, eles sentiriam todo o poder do Lado Negro da Força.
5. Operadoras de Caixa de Hipermercados: pensem bem antes de me perguntar pela milionésima vez se eu tenho Cartão Desconto!
6. O Campino: não volte a perguntar-me, com aquele ar de mal encarado, se eu desejo "tomar mais alguma coisa", quando já sabe a resposta.
7. Os "Bem-Sucedidos": por todas as vezes que se pusessem à minha frente, naquele seu ar pedante e estupidamente exibicionista, em qualquer estabelecimento público que frequento, saberiam o que isso lhes custaria.
8. Funcionários dos CTT: vamos lá ver se falam baixinho, apondo apenas as devidas estampilhas nos sobrescritos.
9. Máquinas de Tabaco: seria agradável que estivessem sempre aprovisionadas com a marca que fumo, para que não houvesse grande prejuízo.
10. Malta Saudável: que nem se atrevessem a tossir à minha beira por cada vez que acendo um cigarro, ou se pusessem com ar de enojados e de falsa santidade a olhar para um verdadeiro apreciador de pequenos prazeres e vícios.

Em todos os casos, é mais que certo que os avisava primeiro: "So be it... Idiot!"

Como regra de "meme", lanço o desafio ao Augusto.

1 comentário:

Mariana disse...

Estava para escolher esse poder! Quase sintonia, hein?